ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Confira aqui o Novo Mapa de Cobertura Florestal e outros usos da terra do MonitoraSC

Cadastre-se para o download dos livros e para receber novidades do IFFSC!

Você sabe quanta floresta nativa ainda resta em Santa Catarina?

Você sabe quais espécies de árvores e demais plantas existem nelas?

Você sabe como está a sua região quanto à qualidade e quantidade das florestas?

Quais são as espécies mais comuns e as mais ameaçadas?

Quanto crescem as florestas por ano e o quanto de floresta ganhamos e perdemos?

Quanto carbono está estocado nas florestas do estado?

Essas e outras perguntas são o foco do IFFSC...

O Inventário Florístico Florestal de Santa Catarina (IFFSC) tem por finalidade a busca por informações atualizadas, detalhadas e confiáveis sobre a quantidade e qualidade das florestas em Santa Catarina.

A criação do IFFSC vem da necessidade de gerar uma sólida base de dados para:

  • Fundamentar a formulação de políticas públicas de uso e conservação das florestas do estado;

  • Fornecer informações para o zoneamento econômico-ecológico para a atividade florestal no estado;

  • Gerar novas informações para a atualização da lista das espécies vegetais ameaçadas de extinção;

  • Subsidiar a identificação e definição de áreas prioritárias para a conservação e recuperação de ecossistemas degradados.

Dentre os estudos realizados pelo IFFSC – (1) Inventário dos Remanescentes Florestais; (2) Monitoramento da Cobertura Florestal, (3) Alometria, (4) Herbário, (5) Diversidade genética e (6) Levantamento Socioambiental – derivam os seguintes produtos:

(1) Relatórios de composição de espécies, de estrutura dos remanescentes florestais (diamétrica, horizontal e vertical) e dinâmica florestal, obtidos pelo inventário sistemático e contínuo das florestas (veja mais em publicações e produtos);

(2) Extensão das florestas nativas catarinenses, bem como dos demais usos da terra por meio de técnicas de Sensoriamento Remoto (veja aqui);

(3) Modelos estatísticos para determinação de volume de madeira e biomassa das florestas naturais catarinenses (veja aqui);

(4) Disponibilização das plantas coletadas em campo em herbário e pela internet, tombadas no Herbário Roberto Miguel Klein (veja aqui);

(5) Diversidade e estrutura genética de populações de espécies ameaçadas pelo emprego de marcadores alozímicos (veja aqui);

(6) Usos tradicionais dos recursos florestais e percepção da população rural por meio de entrevistas (veja aqui);

Desde 2007, o IFFSC aplica uma metodologia compatível com a do Inventário Florestal Nacional (IFN), embora modificada para atender demandas específicas do estado. A metodologia é baseada numa amostragem sistemática de múltiplas ocasiões, repetida a cada cinco anos, visando gerar informações e monitorar o estado de conservação dos recursos florestais, bem como mudanças no uso da terra ao longo do tempo. O IFFSC é um programa permanente do Governo do Estado.


As primeiras medições em campo (Ciclo 1) aconteceram entre os anos de 2007 a 2011, com o levantamento em campo de 597 parcelas distribuídas pelo Estado. A remedição das parcelas (Ciclo 2) iniciou em 2014 e será conduzida em 5 anos, com 20% das parcelas remedidas a cada ano.


Realizado pela Universidade Regional de Blumenau (FURB), em parceria com outras universidades do Estado – Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC) e Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) – e também com a Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri).

Financiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina (FAPESC), pelo Governo do Estado e pelo Serviço Florestal Brasileiro (SFB).


As informações são públicas e podem ser obtidas através das publicações impressas (aqui) e através da internet: pela nossa página e pelos nossos bancos de dados (acesse aqui).


Acesse aqui o Download dos livros do IFFSC e outras publicações (cartilhas, publicações científicas, boletins, etc.).

Acesse aqui Boletim 15 – Levantamento do segundo ciclo; Exposição Itinerante para ampliação da divulgação dos resultados ao público geral; e Projeto Monitoramento da Cobertura Florestal por Inventário Remoto.