NOVOS PRODUTOS E INICIATIVAS

Já conhece o EducaSC: uma nova iniciativa do IFFSC? Clique para saber mais

Mapa de cobertura florestal e uso da terra de Santa Catarina (MonitoraSC, 2020)

(Solicite o download do shapefile através do email iffsc@furb.br)

Mapa de distribuição das espécies ameaçadas de Santa Catarina nas Unidades Amostrais do IFFSC

Banco de dados de densidade da madeira de espécies nativas

Quanta floresta nativa ainda resta em Santa Catarina?

Quais espécies de árvores e demais plantas existem nelas?

Como está a sua região quanto à qualidade e quantidade das florestas?

Quais são as espécies mais comuns e as mais ameaçadas?

Quanto crescem as florestas por ano e quanta floresta ganhamos e perdemos?

Quanto carbono está estocado nas florestas do estado?

Essas e outras perguntas são o foco do IFFSC...

O Inventário Florístico Florestal de Santa Catarina (IFFSC) coleta informações atualizadas, detalhadas e confiáveis sobre a quantidade e qualidade das florestas em Santa Catarina.

A criação do IFFSC vem da necessidade de gerar uma sólida base de dados para:

  • Fundamentar a formulação de políticas públicas de uso e conservação das florestas do estado;

  • Fornecer informações para o zoneamento econômico-ecológico para a atividade florestal no estado;

  • Gerar novas informações para a atualização da lista das espécies vegetais ameaçadas de extinção;

  • Subsidiar a identificação e definição de áreas prioritárias para a conservação e recuperação de ecossistemas degradados.

Dos estudos realizados pelo IFFSC – 1) Inventário dos Remanescentes Florestais; 2) Monitoramento da Cobertura Florestal, 3) Alometria, 4) Herbário, 5) Diversidade genética e 6) Levantamento Socioambiental – derivam os seguintes produtos:

1) Publicações técnicas e científicas contemplando composição de espécies, estrutura (diamétrica, horizontal e vertical) e dinâmica florestal com base nos dados coletados pelo inventário sistemático e contínuo das florestas (veja mais em publicações e produtos);

2) Mapeamento das florestas nativas catarinenses e de outros usos da terra por meio de Sensoriamento Remoto (veja aqui);

3) Modelos estatísticos para determinação de volume de madeira e biomassa das florestas naturais catarinenses (veja aqui);

4) Disponibilização de coletas botânicas em herbário e plataformas online (veja aqui);

5) Diversidade e estrutura genética de populações de espécies ameaçadas pelo emprego de marcadores alozímicos (veja aqui);

6) Usos tradicionais dos recursos florestais e percepção da população rural por meio de entrevistas (veja aqui);

Desde 2007, o IFFSC aplica uma metodologia compatível com a do Inventário Florestal Nacional (IFN), embora modificada para atender demandas específicas do estado. A metodologia é baseada numa amostragem sistemática de múltiplas ocasiões, repetida a cada cinco anos, visando gerar informações e monitorar o estado de conservação dos recursos florestais, bem como mudanças no uso da terra ao longo do tempo. O IFFSC é um programa permanente do Governo do Estado.


As primeiras medições em campo (Ciclo 1) aconteceram entre os anos de 2007 a 2011, com o levantamento em campo de 597 parcelas distribuídas pelo Estado. A remedição das parcelas (Ciclo 2) iniciou em 2014 e será conduzida em 5 anos, com 20% das parcelas remedidas a cada ano.


Realizado pela Universidade Regional de Blumenau (FURB), em parceria com outras universidades do Estado – Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC) e Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) – e também com a Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri).

Financiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina (FAPESC), pelo Governo do Estado e pelo Serviço Florestal Brasileiro (SFB).


As informações geradas pelo IFFSC são públicas e podem ser obtidas através das publicações, bancos de dados e sistemas.


Faça o download dos livros do IFFSC e outras publicações (cartilhas, artigos científicos, boletins, etc.).

Acesse aqui o Boletim 15 – Levantamento do segundo ciclo; Exposição Itinerante para ampliação da divulgação dos resultados ao público geral; e Projeto Monitoramento da Cobertura Florestal por Inventário Remoto.