Alometria

Instituição Responsável:

Universidade Regional de Blumenau (FURB)

Coordenador:

Prof. Dr. Alexander Christian Vibrans

Objetivo:

Desenvolver modelos estatísticos para a estimativa de altura, volume e biomassa de árvores individuais, a fim de subsidiar a elaboração de estudos científicos, a geração de estimativas populacionais e o manejo florestal em Santa Catarina.

O manejo de florestas secundárias pode aliar-se à conservação. Para isso, informações técnicas de qualidade são essenciais.

Desde o inicio de suas atividades de campo, o IFFSC empenhou-se em realizar a cubagem rigorosa de fustes e a medição da altura de árvores dentro das Unidades Amostrais distribuídas pelo estado. As equipes de campo, as quais contavam com escaladores treinados, cubaram mais de 1,000 fustes de árvores em pé e mediram a altura de mais de 2,000 árvores usando instrumentos especializados.

A partir de 2014, o IFFSC também passou a coletar dados em uma área no município de Guaramirim – SC submetida ao manejo florestal autorizado via termo de cooperação técnico-científico entre a Fundação do Meio Ambiente de Santa Catarina (FATMA) e a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

Altura

A altura total de uma árvore é uma variável difícil de ser medida em campo, principalmente em florestas nativas com dosséis altos e fechados. Estimativas mais acuradas dessa variável são geralmente obtidas em campo através do uso de equipamentos que utilizam relações trigonométricas, como o hipsômetro. Não obstante, medir as alturas de todas as árvores numa Unidade Amostral usando equipamentos é inviável. Diante disso, com base nas alturas de mais de 2,000 árvores medidas em campo com o auxílio de instrumentos, o IFFSC desenvolveu modelos estatísticos para estimar a altura total de uma árvore através do seu diâmetro, uma variável mais facilmente obtida em campo. Mais especificamente, o IFFSC foca em:

(i) desenvolver modelos genéricos e específicos para estimar a altura de espécies nativas;

(ii) estudar as relações entre diâmetro e altura de diferentes espécies e diferentes tipos florestais.

Publicação

Vibrans, A.C.; Moser, P.; Oliveira, L.Z.; Macaneiro, J.P. Height-diameter models for three subtropical forest types in southern Brazil. Ciência e Agrotecnologia, v. 39, p. 205-215, 2015. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-70542015000300001

Volume

Informações sobre os estoques de madeira das florestas são essenciais para o manejo florestal e para a formulação de políticas públicas que regulam o uso e a conservação de recursos florestais. O IFFSC desenvolve estudos sobre volumetria envolvendo mais de 200 espécies nativas, entre elas a licurana (Hieronyma alchorneoides) e o jacatirão (Miconia cinnamomifolia), duas espécies que produzem madeira de valor e que ocorrem abundantemente nas formações secundárias da Floresta Ombrófila Densa em SC. Mais especificamente, o IFFSC foca em:

(i) desenvolver modelos genéricos e específicos para estimar volume do fuste e volume total;

(ii) desenvolver modelos genéricos e específicos de afilamento de troncos;

(iii) desenvolver fatores de casca;

(iv) estudar métodos de redução de incertezas em estimativas de larga escala de volume por unidade de área.

Publicações

Oliveira, L.Z.; Klitzke, A.R.; Fantini, A.C.; Uller, H.F.; Correia, J.; Vibrans, A.C. Robust volumetric models for supporting the management of secondary forest stands in the Southern Brazilian Atlantic Forest. Anais da Academia Brasileira de Ciências, v. 90, p. 3729-3744, 2018. http://dx.doi.org/10.1590/0001-3765201820180111

Vibrans, A.C.; Moser, P.; Oliveira, L.Z.; Maçaneiro, J.P. Generic and specific stem volume models for three subtropical forest types in southern Brazil. Annals of Forest Science, v. 72, p. 865-874, 2015. https://doi.org/10.1007/s13595-015-0481-x

McRoberts, R.E.; Moser, P.; Oliveira, L.Z.; Vibrans, A.C. A general method for assessing the effects of uncertainty in individual tree volume model predictions on large area volume estimates with a sub-tropical forest illustration. Canadian Journal of Forest Research v. 45, p. 44–51, 2015. https://dx.doi.org/10.1139/cjfr-2014-0266

FURB_Folder_Volume.pdf

Biomassa

Plantas capturam e armazenam o CO2 (dióxido de carbono) liberado por processos biológicos naturais (e.g., respiração, processos de decomposição, etc.) e por atividades humanas (e.g., queima de combustíveis fósseis, queima de florestas, etc.). A elevação dos níveis de CO2 na atmosfera causa o agravamento do efeito estufa, o qual leva ao aumento da temperatura da Terra, que por sua vez altera uma série de processos naturais, como os regimes de precipitação. Diante da escassez de informações sobre a biomassa das florestas catarinenses, o IFFSC quantificou destrutivamente a biomassa aérea de mais de 100 árvores num trecho de Floresta Ombrófila Densa gerando dados para o desenvolvimento de modelos estatísticos que estimam a biomassa de uma árvore com base em variáveis como diâmetro, altura e densidade da madeira. Mais especificamente, o IFFSC foca em:

(i) desenvolver modelos genéricos e específicos para estimar a biomassa seca aérea de espécies nativas com diferentes formas de vida e crescimento;

(ii) estudar métodos de redução de incertezas em estimativas de larga escala de biomassa por unidade de área.

Publicações

Uller, H.F.; Oliveira, L.Z.; Klitzke, A.R; Freitas, J.V.; Vibrans, A.C. Biomass models for three species with different growth forms and geographic distribution in the Brazilian Atlantic Forest. Canadian Journal of Forest Research (aceito para publicação).

Uller, H.F.; Oliveira, L.Z.; Vibrans, A.C.; Klitzke, A.R; Eleotério, J.R. Aboveground biomass quantification and tree-level prediction models for the Brazilian subtropical Atlantic Forest. Southern Forests, v. 81, p. 261–271, 2019. https://doi.org/10.2989/00306525.2019.1581498

FURB_Biomassa.pdf